Porque NÃO precisamos gostar de WATCHMEN!

Watchmen-1986-Original

Considerada a melhor história em quadrinhos de todos os tempos, Watchmen é a publicação que definiu a nona arte no final do século 20 e abriu as portas para publicações adultas. Mesmo assim, ela não é tão perfeita quanto muitos afirmam

Eduardo Marchiori

Em qualquer discussão nerd sobre os quadrinhos preferidos ou as melhores HQs já criadas, pode contar: Watchmen, de Alan Moore Dave Gibbons, vai aparecer na conversa. Nove entre dez leitores vão dizer que esta é a mais genial de todas as histórias em quadrinhos já publicadas. O décimo leitor, no caso, sou eu. Que ficaria calado na roda, só para evitar entrar em discussões ao declarar: “EU NÃO GOSTO DE WATCHMEN!” Pronto, falei!

Ao contrário do que muita gente vai pensar, não é apenas uma posição criada para chamar atenção ou criar polêmica. GalleryGraphicNovels_1900x900_watchmen_52af9e8ba77e04.77969218Não preciso desse tipo de artifício. Simplesmente não gosto mesmo da história. Acho chata, arrastada, confusa, cheia de subtramas e flashbacks que mais confundem que enriquecem a história principal.

“Dizer que é chata não é argumento inteligente”, dirão alguns. Pois bem: a obra em quadrinhos supracitada consiste de elementos narrativos que a tornam entediante, enfadonha e desinteressante. Parece mais inteligente agora? “Use argumentos sólidos”, dirão outros. Tudo bem: eu escrevo “Watchmen é uma série chata” em concreto, se for o caso. Mais sólido que isso, só se for em diamante, mas aí já fica muito caro.

Brincadeiras à parte, não existe um motivo “mais inteligente” ou “mais sólido” para eu desgostar de Watchmen. Simplesmente acho chata demais. E não é por implicância ou falta de tentativas para gostar dela. Eu juro que tentei! Por três vezes, tentei ler a história, sem ter paciência para conseguir chegar ao final.

watchmen-background-wallpapers-wallpaper-watchmen4-current-wallpaper-41756A primeira vez foi em 1988, quando a minissérie estreou no Brasil, em seis edições, pela Editora Abril. Salvo engano, foi a segunda minissérie da DC, lançada após o sucesso de Batman: O Cavaleiro das Trevas, lançada no ano anterior. Na época, eu tinha 17 anos e, reconheço, não tinha maturidade suficiente para uma leitura tão densa.

Abrindo um parêntese, também não gostei de O Cavaleiro das Trevas na primeira vez que li. Porém, graças a um professor que sugeriu a leitura da minissérie para um trabalho da disciplina de História da Arte na faculdade de Jornalismo, mudei meu ponto de vista e reconheço a genialidade do roteiro. Hoje, esta é uma das minhas HQs preferidas do Batman. Aprendi que alguns textos devem ser lidos na época certa para serem compreendidos. Isso tem um nome: maturidade. Fecha parêntese.

Por isso mesmo, dei uma segunda chance a Watchmen quando o filme estava prestes a estrear nos cinemas. Retomei a Alan_Moore_(2)leitura e, novamente, larguei na metade. A terceira chance veio nas telas do cinema propriamente ditas, afinal, não são raras as vezes em que a adaptação nos apresenta um novo olhar sobre uma obra literária. Não rolou. Reconheço que o filme, enquanto adaptação da obra, é perfeito. A transposição de cenas, a fidelidade do roteiro… tudo é igualzinho à HQ. E, por isso mesmo, tão enfadonho quanto.

Como se vê, não foi por falta de tentativas. Tampouco foi por implicância com o autor da história. Sou fã de A Piada Mortal, V de Vingança e estou vibrando com os encadernados recentemente lançados pela Panini com a saga do Monstro do Pântano. Surpreende-me não ter descoberto essas HQs antes, quando eram publicadas na revista Superamigos, da Editora Abril. Mais uma vez, entra em cena a questão da maturidade literária.

WTCHMN_DLX_ED-coverA_ju76yabn01_Porém, em se tratando de Watchmen, não consigo gostar desse imbróglio que todo mundo ama de paixão, incluindo os críticos mais ferrenhos do mundo.

Apesar disso, adquiri uma nova coleção em 12 volumes da minissérie para uma releitura, seis anos após a última, para ver se o tempo, novamente, mudou minhas percepções. Será a quarta tentativa – e pretendo ir até o final da história desta vez.

Mesmo assim, não acredito que o defeito esteja em mim. Afinal, o que seria do vermelho se todos gostassem do amarelo? Após tantas experiências negativas, cheguei à conclusão que não gostar de algo que todo mundo gosta não é nenhum problema. O problema é que Watchmen é ruim mesmo.

EduEduardo Marchiori é jornalista e escreve para as revistas Mundo dos Super-Heróis e Mundo Nerd e é responsável pelo blog Raio X  (http://mutantexis.wordpress.com), também voltado à cultura pop. Também não gosta de Miracleman, mas isso é outra história

Anúncios

24 comentários sobre “Porque NÃO precisamos gostar de WATCHMEN!

  1. Como eu sempre digo nada é unanime nessa vida, é ninguém é obrigado a gostar de nada, pra mim WATCHMEN é uma obra-prima, com um excelente roteiro, que em nenhum momento é chato ou confuso, mas por mais que eu discorde do texto, sempre é bom ver uma opinião diferente.

    Curtido por 1 pessoa

  2. O fato de Watchmen ser a “a graphic novel mais vendida e aclamada e etc” fala mais sobre o mercado em si do que a a obra.
    Watchmen nem é a melhor obra do Alan Moore. No entanto como disse antes, ela pode ser um pivô para analisar o mercado de quadrinhos e, por que não a cultura pop em si.
    A obra em questão é um fruto de seu tempo em todos os sentidos, tanto na negociação de seus direitos a consequências em futuras publicações, ao surgimento de novas empresas como a Image cujo autores e desenhistas estão ditando o que aparece nas bancas até hoje.
    O assunto é extenso, mas vale analisar um fato: Porque as “eras” dos quadrinhos são em ordem decrescente? Temos a era de Ouro, Era de Prata e Era de Bronze. Se isso não é a prova da decadência do “comics” americano, temos Watchmen cuja leitura permeia essa eras como vigilante solitário com seu cartaz “O fim está próximo”.

    Curtir

  3. Me desculpe, mas dizer que não precisamos de uma obra simplesmente por que você achou chato é um tanto extremo e sensacionalista. É como dizer que não precisamos de Assim Falou Zaratustra, simplesmente por que ler a obra é um porre.

    Curtir

  4. Qualquer analise dessa obra, quase 30 anos depois deve ser desconsiderada, porque?Por que não vai ter o choque cultural da época, faça analises de obras recentes, watchmen é leitura obrigatória mas deve ser digerida com cautela, tente se imaginar na época em que não existia nada do que está escrito ali e você vai entender o porque da grandiosidade da obra, hoje temos
    obras muito mais impactantes mas sem watchmen não existiram essas obras.

    Curtir

  5. Arruma esse link, que tá Porque Não Precisamos de Watchmen. Você esta sendo xingado (e com razão) em um site de quadrinhos por isso.

    E eu já vinha aqui fazer mesmo e vi que tinha o GOSTAR.

    Se é “não precisar gostar”, ninguém precisa gostar de nada mesmo. Reconhecer o valor da obra, isso sim. Mas não é essa a questão que você levantou aqui, então beleza.

    Curtir

  6. Prepare-se pra se apedrejado com comentários de quinas quadradas! Não por mim, claro! Mas sei bem como uma opinião contrária pode gerar ódio irracional em fãs fervorosos. Mas te digo uma coisa: Não vejo problema não gostar de Watchmen e não discordo do seu texto! Eu, particularmente, gosto da obra. Mas isso não me faz te achar um herege por não gostar. Não é será um status que tornará uma HQ boa pra fulano e pra sicrano. Fulano pode idolatrá-la, mas Sicrano pode, simplesmente, não gostar e o mundo irá continuar girando. Eu, por exemplo, achei a proposta de Os Invisíveis muito boa, mas a história e o ritmo dela não me prendeu. Também achei chata e arrastada, assim como você achou Watchmen. Isso me torna um leitor de quadrinhos pior? Não!
    Ler quadrinhos é algo que deve ser feito e encarado como lazer, não como estilo de vida (a não ser que você TRABALHE no meio) e se ofender com gostos e opiniões alheias é algo que cabe a pessoas que precisam seriamente rever seus valores. Tenho um amigo que não gosta de Cavaleiro das Trevas do Miller e me perguntou se deveria vender. Amo a obra e disse a ele “Não adianta ficar com algo só pra fazer pose pros outros. Busque o que te diverte, não o que te deixa popular na rodinha de nerds esnobes”. Por isso, parabéns pelo texto corajoso e se na nova tentativa você não conseguir chegar ao final…deixa quieto. E o mundo irá continuar girando…

    Curtir

  7. Uma das melhores obras dos quadrinhos até hoje, nem mesmo grant morrison com todo seu ódio conseguiu destruir o significado para as historias em quadrinhos serem elevadas como arte, foi uma das primeiras obras a serem consideradas literárias dos quadrinhos pela critica literária comum

    Curtir

  8. Olha,eu não lhe conheço então não sei teus gostos. Para mim, Watchmen é uma excelente historia, mas eu odeio a visão dada aos super heróis. Eu sou meio romântico em se tratando deles, eu não gosto deles sendo levados a tal “como seriam super heróis no mundo real”, não, seria o contrario “como seria o mundo real com super heróis”.

    Curtir

  9. Oi!

    Meu nome é Maurício Muniz e sou o editor deste blog nerd. Nessa condição, só queria fazer um comentário rápido:

    Tenho anos de experiência com trolls e sou eu quem aprova e desaprova os comentários dos leitores. Portanto, se você está vindo aqui pra ser mal-educado, ofensivo, desagradável… não perca seu tempo. Não vou aprovar comentários boçais. Sinta-se livre para discordar do texto do Eduardo, mas com ARGUMENTOS, não XINGAMENTOS. Tem caras vindo aqui e escrevendo textos que são mais longos que A BÍBLIA, E O VENTO LEVOU e o MEIN KAMPF juntos. Azar, se tiverem ofensas, não vou me importar se você levou duas horas pra escrevê-lo. Vai pro lixo.

    Dito isso, continuem a discussão. E, não, o Edu não escreveu esse texto “só pra chamar a atenção”, como alguns andaram dizendo. Ele não gosta mesmo de WATCHMEN e ponto final. E se está certo ou errado, se você concorda ou não, é a opinião dele. E não há problema em discutir nada disso com educação.

    Quem quer chamar atenção é quem não respeita opinião alheia e vai em sites usar ofensas nos comentários pra se sentir melhor.

    Abraços!

    Curtido por 2 pessoas

  10. Todo o direito do mundo de achar chato.
    É só uma questão de gosto. Eu, ao contrário de você, gosto das tramas complexas, detalhada e não acho enfadonho. Prefiro o filme do que a HQ, confesso. Mas ainda acho a HQ muito boa.

    Detesto Grant Morrison. Gosto de duas ou três sagas dele… Mas acho que ele embobalha tudo com suas viagens que parecem regadas a algum tipo de ácido. hehe!

    Opinião válida.

    Curtir

  11. Nós temos a mesma idade, eu li na mesma época que você e gostei, aliás tb li qdo lançaram Cavaleiro das Trevas e amei mais q a vida . Alan Moore não é pra qqr um, não digo com arrogância, digo q é um estilo pra se gostar ou não. Aliás Frank Miller tb não. Essa modinha nerd e de chamar as pessoas desse termo e se enquadrar nisso tudo é q é chato, analisar demais e curtir de menos é q é chato. A mim não interessa se tem o rótulo de obra prima. Me pergunto se vc gosta de Top Ten ou 49ers ou V de Vingança…

    Curtir

  12. Nove entre dez leitores vão dizer que esta é a mais genial de todas as histórias em quadrinhos já publicadas.

    Pois, mas desses nove o mais provável é apenas 3 terem lido Watchmen…
    Esse obra teve o seu tempo, está algo datada neste momento e definitivamente não é a melhor obra de sempre dos quadrinhos. Foi muito importante na altura, aliás, acho que continua a ser, mas conheço muitas obras melhores! Existe melhor nos comics norte-americanos, na BD europeia e no Manga japonês, e porque não dizê-lo, Daytripper dos gémeos brasileiros Fábio Moon e Gabriel Bá é bem melhor.

    Há que saber discernir entre o que foi feito no passado e muito importante na altura, e o que se faz agora, onde houve uma enorme evolução narrativa, temática e gráfica.

    Já agora, sempre gostei mais de V for Vendetta do que de Watchmen… 🙂

    Abraço

    Curtir

  13. Me desculpe o autor do texto, mas me pareceu ser mais para chamar a atenção do que qualquer coisa (apesar de dizer o contrário). Se o mesmo acha a obra chata, confusa e etc (e em nenhum momento oferece um embasamento para as críticas, “são porque sim e pronto”), com o adendo que também não gostou do Cavaleiro das Trevas na primeira vez que leu (e precisou da ajuda de um professor para entender a obra), talvez quadrinhos não sejam a sua praia. Quadrinhos adultos, pelo menos.

    Curtido por 1 pessoa

  14. …mas de fato vc escreveu querendo polemica sim finalizando o post de uma forma destas: “o problema é que Watchmen é ruim mesmo”.
    Lamentavel, vc podia ter melhores conclusões pra definir simplesmente o fato dos gostos serem algo pessoal. Eu gosto de Watchmen e só, não tenho argumento.

    Curtido por 1 pessoa

  15. Tudo bem não gostar, respeito a diversidade. Mas li todo o artigo em busca de sua razão para não gostar e você não deu um motivo, além de dizer que acha chato. Não posicionou-se nem em relação à arte nem opinou quanto ao enredo.
    Eu, por outro lado, considero uma das melhores analogias ao mundo moderno dentro da esfera da arte sequencial, principalmente se lermos levando em consideração o contexto sócio-econômico do mundo no período de criação, após o final dos “anos de ouro”, com o agravamento da situação econômica de diversas potências e os suspiros finais da Guerra Fria.
    Talvez o tempo lhe ajude a entendê-la dentro de um contexto político ou social, porque gostar vai ser difícil depois de tantas tentativas.

    Curtido por 2 pessoas

  16. Respeito é bom e deve ser mantido, principalmente em se tratando de opinião. O que seria do mundo se todos gostassem das mesmas coisas, o quão chato seria. Respeito o que foi dito pelo autor do artigo, mas considero Watchmen uma das melhores obras quadrinísticas de todos os tempos. O argumento e a arte são formidáveis e marcou época: depois de Watchmen e Cavaleiro das Trevas as hqs nunca mais foram as mesmas, graças a Deus, pois deram um salto de qualidade nunca antes visto. Mais uma vez, afirmo: o ponto de vista de Eduardo Marchiori deve sim ser respeitado, mesmo não concordando com com o seu posicionamento.

    Curtir

  17. Quando falar “eu não gostei” não é suficiente…
    Gostar de uma obra não a transforma numa obra-prima, como também não gostar signifique que ela não presta. É apenas um exercício de opinião.
    Reconheço que não gostei de Watchmen quando li da primeira vez, e ainda hoje ela não figura na minha lista de HQs favoritas. Esse é um exercício de opinião particular.

    É difícil, ou talvez impossível, encontrar argumentos que tirem o título de Obra-prima para o trabalho do Alan Moore. O texto é impecável, o roteiro é bem amarrado do começo ao fim e todo o universo em torno da história é bem explorado. Isso sem contar com a competente arte do Dave Gibbons.

    Watchmen trouxe um olhar diferente para o mundo dos super-heróis. Alan Moore nos mostrou como eles seriam e agiriam num mundo tão familiar a todos nós. Este grau de realismo tão alto, que encantou tantas pessoas, causou um desconforto em mim. Não são esses os heróis que eu admiro, como também não são histórias como essas que me fizeram um colecionar de quadrinhos inveterado.

    Mas a arte apronta dessas coisas. Ela tanto pode nos encantar, causar repulsa, fazer refletir e em certos casos, inspirar. Talvez, obras como Supremos e Authority, as quais eu julgo excepcionais, nunca fossem imaginadas se um louco britânico barbudo não tivesse pensado em mudar o status quo dos quadrinhos anos atrás.

    Curtir

  18. gostei da posição do autor, mesmo sendo eu fã de Watchmen, pois, a própria obra ganha com uma retomada do debate em torno dela, inclusive para seus fãs perceberem que nenhum obra de quadrinhos é unânime !

    Curtir

  19. Putz cara, obrigado mesmo por me fazer ler Watchmen. Eu não era um grande fã de HQs nem nada, só tinha lido Preacher na minha vida e decidi procurar por outras HQs que não envolvessem super heróis fodalhões,daí ouvi falar sobre Watchmen e fui procurar algumas análises e achei esse teu texto (e alguns outros textos também questionando esse status de obra prima), e decidi comprar pra ver se era só hype ou se era realmente boa, terminei esses dias e cheguei a opinião que a HQ é genial, eu não sei explicar o porque mas esse texto realmente me deixou com vontade de ler ela.

    Quanto ao texto em si, eu não posso discordar exatamente, opinião é opinião. Só senti um sensacionalismo chato querendo fisgar fanboys irados, e acho que deu certo, vi vários caras te xingando nos grupos e compartilhando o link.

    Curtir

  20. Caro , Eduardo.
    Primeiramente, respeito sua opinião.
    O que acho estranho, nas pessoas que criticam Watchmen é que raramente fazem seus comentários sobre um critério critico. Sempre ouvimos dizer que é chata, amarrada entre outras coisas e nada além disso. Dizer que a obra é chata por conter flashbacks em demasia e etc, é muito pouco na minha opinião.
    Penso, que quando fazemos criticas sobre qualquer assuntos devemos ter uma apresentação de um argumento embasado.
    Um grande abraço!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s