SMALLVILLE: a série que SALVOU a DC na Televisão

poster-destiny-is-now

Smallville dividiu os fãs. Uns amam, outros odeiam com todas as forças. Mas a série teve o mérito de abrir as portas para a personificação dos super-heróis DC na televisão

Por Eduardo Marchiori

Não é segredo para ninguém que a televisão sempre foi um terreno fértil para os super-heróis da DC. A editora domina o espaço televisivo com seriados e animações e, nos dias atuais, com a moda de adaptações de quadrinhos para versões live-action, estamos vivenciando uma verdadeira invasão super-heroica nas telinhas. São três séries no ar (Arrow, The Flash e Gotham), mais duas a caminho (Supergirl, cujo episódio piloto vazou recentemente, e Legends of Tomorrow, um spin off da série Arrow) e há planos para a produção de uma série dos Novos Titãs.

smallville_elencoO interessante é que toda essa profusão de heróis uniformizados na TV só foi possível graças a outra série desprezada por grande parte dos fãs de quadrinhos: Smallville. Por conta das mudanças radicais feitas na mitologia do Superman e pelo teor adolescente dado aos roteiros – a ponto de ela ser apelidada de “Smalhaçãoville” em vários grupos de discussão – a produção é rejeitada pelos fãs, que se esquecem do fato dela ter sido uma vitrine para que outros personagens ganhassem vida.

Eu concordo que Smallville extrapolou em vários momentos e se estendeu além do necessário. A partir da quinta temporada, os roteiros perderam o rumo e se tornaram uma grande viagem que parecia não acabar nunca. O momento mais aguardado pelos fãs era o momento em que o jovem Clark iria finalmente vestir o icônico uniforme azul e vermelho e alçar voo para grandes aventuras.

No entanto, a série foi crescendo em audiência e os produtores inventaram mais e mais tramas, fugindo totalmente do fio smallville_9x8_idol-4condutor original – a descoberta dos superpoderes e a evolução do jovem Clark Kent até ele se tornar o maior de todos os super-heróis. Apesar disso, não podemos negar que o seriado estava longe de ser ruim como apregoam alguns. Se assim o fosse, não duraria dez anos. Os episódios, embora fora da mitologia, tinham a dose de ação e romance necessárias para prender a atenção do público e o fato de ter durado tanto, também teve seu lado positivo, pois permitiu que outros heróis fossem explorados nas tramas.

Nunca antes uma série de TV teve tantas referências às HQs e tantos personagens transpostos para live-action. Smallville wall03_1280x1024foi um grande laboratório onde foram testados personagens como o Arqueiro Verde (que acabou entrando para o elenco fixo da série), Flash, Supergirl, Canário Negro, Aquaman e até mesmo os Super Gêmeos, num episódio pra lá de divertido. Foi graças à participação desses heróis que surgiu a ideia de uma série solo do Aquaman (que acabou não dando certo, mas pelo menos houve a tentativa) e do Arqueiro Verde, que se tornou um grande sucesso.

Vi uma piadinha numa página sobre quadrinhos no Facebook que compara os piadinhapersonagens das séries atuais com suas versões em Smallville, dizendo que, antes de reclamar da versão atual, não deveriam esquecer que já foram daquele jeito antes. Piada de mau gosto, pejorativa e depreciativa. Eram épocas diferentes, um outro contexto e as versões antigas nem estavam tão mal quanto os engraçadinhos faziam parecer.

Eles se esquecem que, antes de Smallville, a última série de super-heróis exibida na TV foi Lois & Clark (1993-1997). Centrada mais no romance do herói, a série não expandiu o universo do Homem de Aço e demorou quatro anos até que outro personagem – o mesmo, na verdade! – ganhasse uma adaptação na TV. Já com Smallville, quando a última temporada foi anunciada, uma continuidade já estava sendo planejada.

Surgiram boatos de que o seriado mudaria de tom e passaria a se chamar Metrópolis, abordando os primeiros anos do agora Superman em seu novo lar (não tão novo, visto que Clark já vinha atuando na cidade grande há um bom tempo). Felizmente, os produtores perceberam a incoerência e finalizaram de vez o projeto, abrindo caminho para novas ideias. Essa ideia chegou com Arrow, que estreou apenas um ano depois de Smallville. O resto é história.

smallville_finaleApesar dos inúmeros acidentes de percurso, ninguém pode tirar o mérito de Smallville ter sido a maior fábrica de super-heróis em live-action já criada, seja na TV ou no cinema. Prova disso é que a Warner e a DC patinam para dar vida à Liga da Justiça nas telonas enquanto que na TV já tivemos o privilégio de ver, não apenas a Liga, mas também a Sociedade da Justiça. E muito mais!

Assim, a piadinha sem graça deveria ser mudada: antes de reclamar do visual dos heróis nas séries atuais, lembre-se de agradecer pelos antigos, que evoluíram a ponto de tornar nossas noites bem mais divertidas. Smallville foi a série que impulsionou a DC para o alto e avante!

EduEduardo Marchiori é jornalista e escreve para as revistas Mundo dos Super-Heróis e Mundo Nerd. É responsável pelo blog Raio X (http://mutantexis.wordpress.com), também voltado à cultura pop. Sempre foi fã de Smallville, mas odiou a cena sem vergonha de Clark vestindo o uniforme de Superman

Anúncios

2 comentários sobre “SMALLVILLE: a série que SALVOU a DC na Televisão

  1. Eu concordo. Com tudo. O pessoal só fala isso Pq hoje a mania é ter séries de super heróis, e não veem as coisas boas q fizeram antes. Eles não entendem q era novos tempos para os super heróis. E tudo isso começou graças a Smallville.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s