DICAS NERDS: Quadrinhos, Filmes e Livros

BME1v2_HC_Case-720x1169

Nossa equipe de nerds tarja preta indica quadrinhos de super-Heróis e aventura, filmes de ficção científica e terror e romances de literatura fantástica para animar o seu fim de semana!

QUADRINHOS

BATMAN: EARTH ONE – VOLUME 2 (2015), de Geoff Johns e Gary Frank (DC Comics)BME1v2_HC_Case-720x1169
Após o sucesso de crítica e de vendas do primeiro volume, lançado em 2014, a DC volta com outro álbum sobre essa versão um tanto mais realista e sombria do Homem-Morcego. Desta vez, o herói está às voltas com um assassino em série apelidado de Charada, que mata de maneira violenta pessoas que não conseguem responder os enigmas que apresenta a elas. As personalidades de Bruce Wayne e seu elenco de coadjuvantes são bem exploradas e há ótimos momentos de ação, valorizados pela arte de Frank, que nunca esteve tão bonita. Só não ganha uma nota maior devido a um escorregão narrativo em uma cena na cadeia, próxima ao final da história, que deixa tudo confuso e sem lógica por algumas páginas. Mesmo assim, vale a leitura e esperemos que venham outros volumes. E, a julgar pela última página deste, já dá para ter uma ideia de quem será o próximo vilão que dará as caras. Nota: B
(Maurício Muniz)

BigBIG TROUBLE IN LITTLE CHINA – VOLUME 1 (2015), de John Carpenter, Eric Powell e Brian Churilla (Boom Studios)
Uma ótima surpresa essa série em quadrinhos baseada no filme Os Aventureiros do Bairro Proibido, dirigido por John Carpenter em 1986. A história começa exatamente no final do filme e mostra como o herói Jack Burton se envolve em outra confusão com seres místicos para salvar o amigo Wang. A trama foi criada pelo próprio Carpenter ao lado de Powell – criador do personagem The Goon, que já teve um álbum lançado no Brasil – e mistura ação e ótimas piadas. São mostrados alguns momentos do passado de Burton, que já enfrentou perigos sobrenaturais antes, algumas vezes até mesmo sem perceber. A arte pode ser um pouco caricata demais às vezes, mas não atrapalha o prazer da leitura. Quem não assistiu ao filme (sério? Não sabe o que está perdendo!) pode ler a HQ, mas os fãs vão gostar mais. Nota: B+
(MM)

GOD HATES ASTRONAUTS – VOL. 2 – A STAR IS BORN (2015), de Ryan Browne GodHatesAstronauts_tp_02(Image Comics)
Segundo volume da saga em quadrinhos mais demente da atualidade.  Agora a ameaça dos caipiras astronautas se torna cada vez mais grave, pois um acidente gerado por eles pode custar o destino do nosso planeta. Com a iminente invasão da Terra pelo exército do Rei Tigre Comendo Um Hambúrguer, cabe à equipe mais tosca dos quadrinhos fazer de tudo para tentar salvar a humanidade.  Como sempre, o roteiro segue com uma história absurda e incrivelmente engraçada, com várias homenagens a elementos da cultura pop e aos quadrinhos (há um grupo de personagens inspirados nas criações cósmicas do Jack Kirby). Nota: A+
(Gustavo Daher)

tintinAS AVENTURAS DE TINTIM: O SEGREDO DO LICORNE & O TESOURO DE RACKHAM (2011), por Hergé (Quadrinhos na Companhia)
A Companhia das Letras publicou os álbuns de Tintim entre 2006 e 2008. Em 2011, aproveitando o filme dirigido por Steven Spielberg e produzido por Peter Jackson, eles juntaram em um único encadernado duas (das três) aventuras que serviram para o roteiro de Steven Moffat, O Segredo do Licorne e O Tesouro de Rackham (o terceiro álbum é O Caranguejo das Pinças de Ouro). As aventuras foram publicadas originalmente entre 1942 e 1943 no jornal  Le Soir, durante a ocupação nazista da Bélgica. Tintim, o repórter e aventureiro se envolve em uma caça ao tesouro que envolve maquetes do navio Licorne, que foi capitaneada por um antepassado do Capitão Haddock. Aventura que vai da Bélgica até o meio do oceano, com o maravilhoso storytelling de Hergé. Nota: A+
(Ben Santana)

FILMESwe-are-still-here1

WE ARE STILL HERE (2015), direção de Ted Geoghegan, com Barbara Crampton, Andrew Sensenig, Lisa Marie, Larry Fessenden e Monte Markham
Esse filme é uma aula de como pegar um tema batido (um casal se mudando para uma casa numa cidade do interior após a morte do filho e coisas estranhas começam a acontecer) e transformar numa ótima experiência cinematográfica. Sem contar que é uma grande homenagem aos filmes do mestre do terror, Lucio Fulci, e ao cinema de horror da década de 1970. O filme não demora em apresentar a ameaça que habita a casa e não poupa o espectador de cenas violentas, nas quais o gore é farto e bem executado tecnicamente. Nota: A
(GD)

ReflectingskinposterO REFLEXO DO MAL (1990), de Phillip Ridley, com Duncan Fraser, Jeremy Cooper e Viggo Mortensen
Atualmente, a TV parece literatura: séries como Fargo, True Detective e Mad Men utilizam a narrativa longa para abordar personagens aprofundados, sem pressa, revelando detalhadamente suas almas e seu mundo, um pouco de cada vez. Com essa necessidade de tempo de dedicação do público, é raro o cinema optar por essa abordagem, preferindo contar histórias objetivas, sem grandes digressões. O Reflexo do Mal é uma exceção. Mostra um rito de passagem no interior rural da América, de um menino obcecado pela ideia de que sua vizinha é uma vampira, um pai com um passado terrível, um irmão que volta da guerra com uma foto de um bebê com a pele brilhante, assassinatos de garotos na pequena cidade e uma gangue que aterroriza as estradas. Uma sinistra parábola rica de atmosfera e que deixa mais questões do que certezas, é um filme desconhecido, altamente recomendado para quem procura algo diferente. Nota: C+
(Fábio Ochôa)

COHERENCE (2013), direção de James Ward Byrkit, com Emily Baldoni, Nicholas Brendon e Maury Sterlingcoherence
Um filme de ficção científica de baixo orçamento, mas com um roteiro excelente e intrigante. Em uma noite na qual um cometa passa próximo à Terra, um grupo de amigos se reúne para um jantar. Mas o clima ameno e divertido é interrompido quando coisas estranhas começam a acontecer. As luzes se apagam e todas as casas da rua ficam às escuras… com exceção de uma única residência, que se parece muito com aquela na qual o grupo de amigos está. E quem são aquelas pessoas dentro desta casa, que se parecem tanto com eles próprios? Há mesmo algo estranho acontecendo ou é tudo fruto da imaginação? O cometa pode ter alguma relação com o que acontece? Sem grandes efeitos especiais, o filme usa o relacionamento entre os personagens e o que pode estar lá fora para criar ótimos momentos de tensão. Merece ser conhecido. Nota: B
(MM)

LIVROS

OS_INTEMPORAIS_1248215353BOS INTEMPORAIS (1968), de Robert Silverberg (Panorama)
A Terra do século XXV está superlotada e em caos absoluto. A vida é tão insustentável que a solução que algumas pessoas encontraram foi, ilegalmente, voltar a séculos passados para viver uma vida mais fácil. Quellen, o protagonista, é funcionário do Governo e está encarregado de investigar os Saltadores (como são chamados os viajantes). Sempre que possível, ele deve impedir que essas pessoas viajem. Entretanto, sua vida no presente também é insatisfatória e ele mesmo tem segredos perigosos que podem ser usados contra si. No decorrer das investigações, somos impelidos a refletir sobre o possível impacto que uma pessoa fora de sua época pode exercer na história da humanidade. Enquanto alguns Saltadores viveram e morreram no passado sem grande alarde, alguns usaram de conhecimento sobre o futuro para alterar ou introduzir aspectos que foram responsáveis por grandes realizações da humanidade e que não podem ser, agora, impedidas ou desfeitas. Os vislumbres do autor sobre o século XXV são interessantes, apesar de pessimistas; especialmente a respeito da divisão hierárquica da classe trabalhadora e dos costumes culturais e religiosos da humanidade de então. Nota: B+
(Emmanuella Conte)

Duma_keyDUMA KEY (2008), de Stephen King
A extensa carreira de King – alguém para o qual figurar na lista dos bestssellers é tão comum quanto escovar os dentes – pode ser dividida em duas fases. A primeira, com romances mais formulaicos, ainda que excelentes, e a segunda com um foco maior nos personagens, em que as caracterizações vivas e interessantes quase deixam a história principal em segundo plano. E isso não é um defeito. Os personagens são tão ricos que poderíamos até dispensar as tramas, apenas para seguir acompanhando o seu dia a dia. Duma Key pertence a essa fase. O romance conta a história de Edgar Freemantle, um empreitero que após perder o braço direito em um acidente, vê sua vida se fragmentar. Ele se estabelece na ilha de Duma Key em busca de repouso e começa a pintar quadros terríveis em estado de transe, com a ajuda de um estranho braço fantasma. Existe algo na ilha e Freemantle sem saber, pode ser a única coisa a impedir que um antigo poder ressurja para navegar pelo mundo. Nota: B
(FO)

Clube DumasO CLUBE DUMAS (1995), de Arturo Pérez-Reverte (Martins Fontes)
Publicado originalmente em 1993, o livro mostra a história de Lucas Corto, um especialista em livros raros, que é contratado para autenticar um manuscrito raro de Alexandre Dumas. A partir daí, uma série de intrigas se desenvolvem, compersonagens estranhos que parecem ter saído dos Três Mosqueteiros, demonologia e uma intertextualidade enorme. O livro foi escrito para quem ama os livros e como tais textos influenciam a vida do leitor. Se você é um bibliófilo, esse é o livro para você. Se gosta de uma boa história de mistério, idem. Se gosta dos dois, estará no nirvana. O livro serviu de base para o filme de Roman Polanski O Último Portal (1999), mas simplesmente ignora a melhor parte do livro: a conexão com Dumas. A frase “o livro é melhor que o filme” se aplica soberbamente aqui. Nota: A
(BS)

A-Caçada-Andrew-FukudaA CAÇADA (2013), de Andrew Fukuda (Intrínseca)
No que parece ser uma realidade alternativa, o mundo é um lugar muito diferente. Ali, a sociedade é formada por estranhas criaturas vampíricas, que levaram os seres humanos quase à extinção ao se alimentarem deles. Em meio a esses seres, vive um solitário humanos, o adolescente Gene, que precisa fingir o tempo todo que é também uma dessas criaturas estranhas ou corre o risco de ser devorado a qualquer momento. Gene não pode suar frente a ninguém, não pode rir e nem ser visto à luz do sol. Porém, as coisas pioram quando ele é escolhido por uma loteria governamental para um evento único, no qual um grupo de cidadãos participará de uma caçada ao último grupo restante de seres humanos. Agora, rodeado por criaturas sedentas por sangue e carne humanos, Gene precisa pensar em como salvar sua pele e, talvez, as dos outros humanos, sem revelar sua verdadeira natureza. Mesmo se foi escrito tendo em mente o público adolescente (pense em Jogos Vorazes com vampiros); o livro funciona muito bem e já conquista o leitor na primeira página. Nota: B
(MM)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s