Entrevista exclusiva: SAM HART

thecoldestcity_cover

O desenhista anglo-brasileiro fala sobre trabalho, suas influências e sobre sua graphic novel de espionagem, The Coldest City, que vai para o cinema com Charlize Theron no papel principal. Bônus: baixe gratuitamente a última HQ do artista

 Por Wilson Simonetto

2982O Pastel Nerd conversou com o desenhista inglês de nascimento – mas brazuca de coração –, Sam Hart, que, entre diversos trabalhos em mais de uma década na estrada, já desenhou quadrinhos de Juiz Dredd, Tropas Estelares, Robin Hood e Joana d’Arc. Ano passado lançou uma revista que celebrou uma década de sua carreira, em conjunto com o também quadrinista Will. Entre várias aventuras, teve aulas com o desenhista David Lloyd (V de Vingança), trabalhou com o colorista John Higgins (Watchmen) e terá um de seus últimos trabalhos, o álbum de espionagem The Coldest City, transformada em filme estrelado por Charlize Theron.

Sam, fale um pouco sobre você e como surgiu sua vontade de ser quadrinista.2X10_capas

Sam Hart, nascido nos cafundós da Inglaterra, 41 anos. Vendo uma capa do Superman desenhado pelo José Luis-Garcia Lopez, aos 6 anos, pensei “é isso que quero fazer da minha vida.”.

Quais são seus ídolos e referências, nos quadrinhos?

Nos desenhos: Alex Toth, Gil Kane, Frank Miller, John Byrne, Frank Frazetta, John Buscema, Greg Tocchini, Ivan Reis e, para narrativa, Steve Dillon.

Você teve algumas experiências bem interessantes. Como foi ter aula com David Lloyd e trabalhar com o John David-LLoydHiggins?

Como pode imaginar, as duas experiências foram bem bacanas. Em 1996, ao longo de um ano tive algumas “masterclasses” com o David Lloyd na escola que ele coordenava. E, no ano seguinte, trabalhei com o John Higgins, ajudando na cor da minissérie que ele ilustrava, Pride & Joy, uma aventura de crime, vingança, pais e filhos com roteiro de Garth Ennis. Melhor dica do David Lloyd: “desenhe o ciclista antes da bicicleta” e melhor momento de trabalhar com o John Higgins: ouvir ele e Steve Dillon, seu colega de estúdio, trocando histórias de bebedeira.

Você publicou vários materiais no exterior. Como é trabalhar no mercado estrangeiro ? E quais as dificuldades GuardaCompHQ_CAPAde publicar quadrinhos no Brasil? Acha que é possível viver de quadrinhos?

Acho que logo mais será possível, pois o mercado como um todo tem melhorado, com gráficas, consumidores, plataformas de financiamento e editoras se mobilizando. Se não afundarmos na crise de 2015, serei otimista.

Lá fora, pela minha experiência, é melhor mas não é nenhum paraíso. Também há problemas de distribuição, publicidade, prazos, pagamentos etc etc. É um mercado mais consolidado, com certeza, porém as etapas para um desenhista fazer sucesso são as mesmas que aqui (muito estudo, fanzines, divulgação, melhorar a cada trabalho etc e mais etc).

Fala um pouco sobre seus próximos projetos. Tem umas novidades bem bacanas, não é?

Recebi faz pouco tempo a notícia que uma das graphic novels que ilustrei para a editora Oni Press, The Coldest City, deve virar filme com a Charlize Theron. Se nada der errado, as filmagens começam em outubro e será lançado em 2017.  Além disso, acabo de completar com Alexandre Montadon e Tarsis Cruz uma HQ de cunho educativo e social, a Guarda Compartilhada em Quadrinhos, que fala sobre a importância da nova lei para pais, mães e filhos. Pode ser lida e baixada gratuitamente neste link: guardacompartilhadaemquadrinhos.blogspot.com.br.

Também estou finalizando mais uma graphic novel para a Inglaterra sobre a Grace O’Malley, uma pirata verídica do século thecoldestcity_sample08XVI, e preparando material para lançar na ComicCon Experience no fim do ano.

The Coldest City é uma história de espionagem passada na década de 1980. Como você se envolveu com o projeto?

Conheci o roteirista, Antony Johnston, em algumas convenções de HQ Britânicas, em 2004 e 2005. Em 2010, quando ele estava procurando um desenhista para o projeto, entrou em contato comigo.

Por que Hollywood se interessou em transformar a graphic novel em filme? Houve um processo no qual ela foi oferecida aos estúdios?

A editora, Oni Press, fechou contrato com uma produtora para a venda de vários de seus quadrinhos. Já tinham feito Scott Pilgrim alguns anos atrás, e este ano tivemos a sorte de Coldest City ser escolhido pela Charlize Theron e os diretores para ser seu próximo projeto.

cms-image-000433563Enquanto desenhava, pensava em algo como “Hmmm, esta HQ daria um ótimo filme com a Charlize Theron?” ou foi uma grande surpresa quando soube que se tornaria um filme?

Não pensei em atores específicos, mas – como o quadrinho é em PB e o roteirista pediu que eu usasse um clima Noir – desenhei a HQ como se fosse o storyboard para um filme. Mesmo assim, foi uma grande surpresa – até porque fiquei sabendo junto com o resto do mundo, via twitter.

Quem quiser saber mais sobre Sam Hart seguem os contatos:

Site: www.samhartgraphics.com e E-mail: sam@samhartgraphics.com

WilsonWilson Simonetto é colaborador do site Chamando Superamigos e da revista Mundo dos Super Heróis. É colecionador de quadrinhos e prestigia todos os eventos nerds que pode, o que já rendeu a ele o apelido de “Homem-Evento”

Clique no ícone abaixo e curta O PASTEL NERD no FACEBOOK para não perder nossas atualizações:

Facebook

Anúncios

Um comentário sobre “Entrevista exclusiva: SAM HART

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s