Críticas: EXPRESSO DO AMANHÃ, CORRENTE DO MAL e TED 2

Expresso-do-Amanhã

Em dúvida do que ver na telona? Confira nossa opinião sobre os principais filmes que estreiam esta semana

Por Maurício Muniz

Expresso-do-AmanhãExpresso do Amanhã (Snowpiercer, 2013)

Este elogiado filme de produção sul-coreana chega ao Brasil com dois anos de atraso. Ele não fez grande sucesso nas bilheterias, apesar do elenco internacional e de ser falado em inglês, mas é possível encontrá-lo em diversas listas recentes de “Ótimos filmes que mereciam mais atenção”.

A boa notícia é que o filme realmente é muito, muito bom. Baseado na história em quadrinhos francesa Le Transperceneige, de Jacques Lob e Jean-Marc Rochette (e lançada no Brasil como O Perfura-Neve, pela editora Aleph), conta uma história passada alguns anos no futuro, quando a Terra se transformou em um inferno gelado após uma tentativa de impedir o aquecimento global. Os últimos sobreviventes da humanidade vivem em um trem em eterno movimento, em condições distintas. Nos últimos vagões, mora o refugo da sociedade, uma multidão de pessoas famintas que aguenta terríveis condições e se alimenta de barras de proteínas de aparência suspeitíssima. Nos vagões frontais, vive a elite, que tem acesso ao luxo e à boa comida.

Mas há uma rebelião planejada pelo corajoso Curtis (Chris Evans, que não teria carreira se não fosse pelo mercado de quadrinhos), seu sábio mentor Gilliam (John Hurt, de V de Vingança) e o empolgado Edgar (Jamie Bell, do novo Quarteto Fan… er, melhor dizer que ele é de Billy Elliot e As Aventuras de Tintim). Junto a um pequeno exército armado precariamente, eles avançam em direção à locomotiva, com a ajuda do especialista em segurança Namgoomg Minso e sua filha, a vidente Yona (Kang-ho Song e Ah-Sung Ko, ambos de O Hospedeiro).

Entre lutas com as forças de segurança do trem e encontros com alguns dos seus “ministros” (entre eles a genial Tilda Swinton, de As Crônicas de Narnia), a história se desenrola de maneira exemplar. Há surpresas diversas, bons vilões, momentos de tensão e sequências violentas e bastante sangrentas, como uma batalha com um pelotão de mascarados portadores de machados. Com uma fotografia belíssima e uma cenografia simples, mas eficiente, O Expresso do Amanhã é indicado para qualquer fã série de ficção cientifica. Mais que os efeitos especiais – que dão umas escorregadas de vez em quando -, o que importa aqui são as ideias e a exploração dos personagens. Até Chris Evans, o sempre altivo e confiante Capitão América dos filmes da Marvel, prova que é um ator de talento em um monólogo sombrio próximo ao final. O diretor Bong Joon-Ho (também de O Hospedeiro… e se você ainda não assistiu esse genial filme sul-coreano sobre um peixe monstruoso, corra pra ver) imprime um bom ritmo, ângulos criativos e mostra que tem mesmo grande talento na direção de atores. Em alguns momentos, parece que o filme é uma grande homenagem aos trabalhos do cineasta Terry Gilliam, como Brazil: O Filme e Os Doze Macacos – não pode ser à toa que um dos personagens principais tenha o mesmo sobrenome do diretor, certo? Uma ótima surpresa, que merece ser vista, revista e se tornar cult.

Cotação:
4,5

*****

490314Corrente do Mal (It Follows, 2014)

O cinema estava nos devendo há tempos um filme de terror de conceito inovador, mas finalmente temos um ótimo exemplar em Corrente do Mal.

Jay (Maika Monroe, que está no novo Independence Day) é uma jovem normal, que tem um momento de paixão com o namorado Hugh (Jake Weary) dentro do carro do rapaz. Mas logo ele faz a Jay uma aterrorizante revelação: com o ato sexual, o rapaz passou a ela uma maldição da qual ele também foi vítima insuspeita. Agora, uma estranha entidade que assume variadas formas virá atrás dela, para matá-la, a não ser que ela passe adiante a maldição ao transar com outra pessoa.

A princípio, ela não acredita, mas logo percebe que pessoas estranhas que só ela pode ver tentam aproximar-se o tempo todo, com passos lentos, mas implacáveis. Um grupo de amigos tenta ajudá-la a fugir da misteriosa criatura, mas logo fica claro que Jay será alçançada por ela, mais cedo ou mais tarde. E há outro problema: mesmo se ela passar a maldição adiante, se o monstro matar a pessoa com quem ela fez sexo, a maldição retorna a ela, que se torna o alvo novamente.

Escrito e dirigido pelo jovem e pouco conhecido David Robert Mitchell, o filme de baixo orçamento (custou apenas US$ 2 milhões) usa criatividade, tensão e boa exploração dos personagens para manter o expectador em suspense. Há momentos de terror e alguns sustos impactantes. Acima da média, o filme não traz as respostas fáceis que alguns gostariam, mas é uma experiência pra lá de satisfatória para fãs do gênero. E sua mitologia é tão interessante, que uma continuação para explorá-la mais seria bem-vinda.

Cotação:

4

*****

cartaz-ted2-divulgacao01Ted 2 (idem, 2015)

O primeiro Ted, em 2012, se tornou um enorme sucesso de bilheteria ao contar a história da amizade entre o desleixado John (Mark Wahlberg) e um ursinho boca-suja que ganha vida magicamente, Ted (dublado pelo diretor e roteirista Seth MacFarlane, criador da série animada Uma Família da Pesada). O humor do filme era escrachado, mas algo inteligente e sempre sincero. Não era nada genial, mas se a intenção era fazer rir, o filme conseguia seu intento.

O sucesso trouxe a continuação inevitável, na qual Ted resolve ter um filho, mas só poderá fazê-lo se provar perante a lei que é uma pessoa de verdade. É o mote para surgir um novo interesse romântico para John, na figura da advogada Samantha (Amanda Seyfried), que irá representar o urso nos tribunais. Para atrapalhar a situação, volta à cena o vilanesco Donny (Giovanni Ribisi), que tem como missão de vida roubar o ursinho para si.

Desta vez, as piadas são menos espontâneas e muitas parecem um tanto recicladas. Mas ainda é possível se divertir com algumas das situações e com o clímax, passado numa convenção de quadrinhos – e fico feliz que até que enfim mais alguém percebeu que Seyfred é igualzinha ao Gollum! Além do mais, um filme que tem Morgan Freeman no elenco nunca pode ser de todo ruim.

Se você gostou do primeiro filme, vale ver este, é só diminuir as expectativas. Mas é melhor para todo mundo que este seja o último exemplar da série.

Cotação:

latest

*****

Hitman-Agent-47-poster-2

Hitman: Agente 47 (Hitman: Agent 47, 2015)

Ok, admitimos: não vimos o novo filme da franquia baseada no game de sucesso, apesar de termos sido convidados para a cabine de imprensa. Primeiro, porque as críticas que vieram de fora deram a entender que o filme é terrível. Segundo, porque já vimos o anterior, de 2007 e vida é curta para insistir em erros… Pena que os estúdios de cinema nem sempre concordem com isso.

MauMaurício Muniz é jornalista, tradutor e editor de livros, revistas e quadrinhos. Ele acha que a vida é curta demais para conseguir assistir todos os filmes que gostaria

Clique no ícone abaixo e curta O PASTEL NERD no FACEBOOK para não perder nossas atualizações:

Facebook

Anúncios

4 comentários sobre “Críticas: EXPRESSO DO AMANHÃ, CORRENTE DO MAL e TED 2

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s